Projeto de Tricô no Noroeste do Pacífico Ajuda Famílias que Enfrentam o Inverno no Líbano

Middle East and North Africa Union Mission

Projeto de Tricô no Noroeste do Pacífico Ajuda Famílias que Enfrentam o Inverno no Líbano

Bette Stanzel, natural de Auburn (Washington), produz roupas de inverno para os necessitados.

I Will Go

O rosa vibrante do gorro de tricô da pequena Nairouz move-se em uníssono com ela, um lampejo inesperado de cor contra as poças congeladas enquanto ela corre entre as monótonas lojas de um campo de refugiados no vale libanês do Becaa. Muitos aspectos de sua vida não são ideais, mas tudo melhora quando a cabeça da menina está protegida do frio.

A pequena bênção de Nairouz teve início meses antes, a quase 11.000 quilômetros de distância, onde Bette Stanzel e sua amiga Vickie Kansanback transformaram uma meada de fio doado no pequeno gorro rosa. Bette e Vickie jamais terão a oportunidade de conhecer a pequena Nairouz. As chances de Nairouz visitar os Estados Unidos, onde Bette reside no Centro Assistencial Village Concepts em Auburn, Washington, são bastante limitadas. Contudo, a ligação entre elas é genuína e pessoal.

A conexão entre elas ocorreu através do pastor Rick McEdward, filho de Bette, que é presidente da União do Oriente Médio e Norte da África (UMENA) dos Adventistas do Sétimo Dia. Um certo dia, ele adentrou o escritório da união em Beirute, Líbano, com duas sacolas plásticas volumosas.

“Fiquei estarrecida quando ele jogou 100 gorros de tricô e uma dúzia de cachecóis na mesa de conferências”, lembra Melanie Wixwat, secretária adjunta da UMENA. “Era um espetáculo: uma variedade de cores e texturas. Ele anunciou que sua mãe e suas amigas haviam tricotado cada um deles e que achava que as famílias do Líbano precisavam deles”. O pastor McEdward atua em uma região do mundo onde o calor, mesmo de um pequeno gorro de tricô, é apreciado.

Diante do ambiente econômico desolador no Líbano, onde três quartos da população vivem abaixo da linha de pobreza, somado ao deslocamento interno causado pelo recente conflito, os coloridos gorros e cachecóis de inverno não representam apenas uma questão de moda; são uma necessidade que o hobby de Bette está atendendo.

Bette, mãe de 85 anos do pastor McEdward, sempre teve muita energia para o voluntariado. Ela já ajudou a cuidar de bebês na creche do hospital local, ajudou na loja de presentes de um hospital, foi voluntária na biblioteca, levou idosos a consultas médicas e forneceu dezenas de gorros para bebês na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica de sua comunidade, tudo com a alegria de poder ajudar os outros.

Melanie, que distribuiu pessoalmente muitas das primeiras entregas do pastor McEdward, compartilha: “Sempre conseguimos encontrar famílias que apreciam os gorros de Bette; há muitas delas que precisam de tudo, e um pouco de calor e cor é como dar-lhes flores”. Além da lista de famílias de seu grupo de atenção, dezenas de gorros e cachecóis foram entregues a uma vila na região montanhosa mais pobre do Líbano, a um campo de refugiados no vale libanês de Becaa, e a famílias da comunidade próxima ao escritório da UMENA. Alguns até chegaram aos campos sírios afetados pelo terremoto de 6 de fevereiro de 2023, e neste inverno alguns chegarão até mesmo a famílias deslocadas dos vilarejos na fronteira sul do Líbano.

O projeto de tricô que está abençoando tantas pessoas tem sua base na ensolarada sala comum do centro residencial de Auburn, onde um punhado de idosos alegres conversa e tece. Bette e suas amigas nem sempre sabem de onde vem a lã, mas seu projeto se beneficiou de novelos descartados, liquidações e doações. Elas tricotam o que Deus lhes proporcionou.

Bette está convencida de que a bênção não é apenas para Nairouz e seu mundo. “Tricotar mantém nossas mãos ocupadas e nos fornece algo realmente útil para fazer. Sinto muita alegria ao saber que estamos fazendo a diferença para pessoas que precisam tanto”. Sua missão também tem sido sua bênção.

É evidente que um gorro de tricô não supre todas as necessidades de Nairouz, mas o grupo do Village Concepts acredita que estão transmitindo mensagens de carinho que têm um significado muito mais profundo do que os simples gorros que confeccionam. A distância entre uma idosa em Washington e uma menina no Líbano não é demasiada para que o amor de Deus se estenda, proporcionando esperança a uma jovem que enfrenta um mundo difícil e frio.