Treinamento ajuda os delegados a detalhar os princípios de liderança

Treinamento ajuda os delegados a detalhar os princípios de liderança

Esquetes criativos são destaque da Conferência EDL

Um pastor com uma personalidade animada levou para a plataforma no Concílio Anual de 2012 o que parecia uma história inacreditável: Ele lembrou como caiu de joelhos para orar ao lado de dois jovens que haviam morrido -- e depois de dizer amém, os homens mortos haviam ressuscitado.

Num esquete, Clifford Goldstein desempenha o papel de "Ima Climber", um pastor no fictício "Campo da Antártida", que arrecada dinheiro inescrupulosamente para a campanha "Aquecimento 2015”. Nas proximidades, Shelley Nolan-Freesland desempenha o papel de um redator.

"Eu não sei o que pensam, amigos, mas isso é o que eu chamo de um milagre. E isso me lembra, me lembra, irmãos e irmãs, que nunca saberemos realmente quando será a sua última respiração!", afirmou o pastor, que se especializa em esforços de angariação de fundos para a igreja, alcançando os corações (e carteiras) dos adoradores."

Se o episódio da ressurreição parecia bom demais para ser verdade, há uma boa razão para isso. A história fictícia era realmente parte de um esquete produzido por oficiais adventistas do sétimo dia num programa de treinamento chamado Educação e Desenvolvimento de Liderança.

O objetivo da Conferência de EDL, realizada em 11 e 12 de outubro, os dias de abertura do Concílio Anual, era ensinar importantes princípios de liderança para os 350 membros da Comissão Executiva.

O tema deste ano foi o cumprimento de praxes, ou a importância de funcionários denominacionais aderirem às praxes. "Se seguirmos as regras", disse o secretário mundial da Igreja, G. T. Ng, "haverá paz na família".

No esquete com o pastor trapaceiro chamado Ima Climber (interpretado por Clifford Goldstein, que na vida real é o redator do Auxiliar da Lição da Escola Sabatina de adultos), oficiais da Igreja procuravam mostrar como lidar com um empregado renegado.

O esquete revelava como um pastor distrital no fictício Campo da Antártida chama o supervisor do pastor trapaceiro, o secretário-executivo, para se queixar do mesmo.

O secretário-executivo explica que ele teria de se reunir com o pastor trapaceiro, depois com outros oficiais de campo, como parte do procedimento de rotina para analisar a reclamação.

O secretário-executivo então se reúne com o pastor para confirmar os detalhes da queixa. Depois, o secretário-executivo informa o presidente de campo, que, por sua vez, chama o pastor e o despede. Só que ocorre um problema: O pastor é demitido sem o conhecimento e permissão da Comissão Executiva, que, de acordo com as praxes, é o corpo administrativo que pode disciplinar um funcionário eleito.

Após a encenação, os delegados reuniram-se em grupos de discussão para analisar princípios de governança e liderança dentro da Igreja Adventista. Os estudos de caso permitiram que novos membros da Comissão Executiva aprendessem com administradores mais experientes, Ng disse.

“A expectativa é ajudar a treinar dirigentes em princípios de liderança, e todos os anos teremos um novo tema”, explicou ele.