O legado de 1863

General Conference

O legado de 1863

Há 159 anos, dois anos após a Guerra Civil Americana, às 18h do dia 20 de maio de 1863, 21 crentes adventistas de igrejas do Meio-Oeste e Nordeste se reuniram em Battle Creek, Michigan “com o propósito de organizar uma Conferência Geral”. E assim, a Igreja Adventista do Sétimo Dia começou oficialmente.

Quatro delegados da Associação de New York, um de Minnesota, onze delegados de Michigan, dois delegados de Ohio, um de Wisconsin e dois de Iowa, reuniram-se para criar o projeto da estrutura da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Esta primeira sessão fez história, porque a Constituição da Igreja foi desenvolvida, a estrutura de liderança foi construída, o pastor e abolicionista John Byington foi eleito como o primeiro presidente da Conferência Geral (CG), autor e educador Uriah Smith foi eleito como o primeiro secretário da CG, e Eli S. Walker foi eleito como o primeiro Tesoureiro.

Não se engane, esta não foi a primeira estrutura organizacional da igreja a ser desenvolvida. Antes disso, em outubro de 1861, Battle Creek, Michigan, viu o desenvolvimento da Associação de Michigan. Depois que Tiago White elogiou a eficiência e expansão do ministério das igrejas de Michigan que se uniram sob a conferência, um ano depois, conferências foram organizadas em Iowa, Vermont, Illinois-Wisconsin, Minnesota e, finalmente, New York e Ohio.

Nossa percepção moderna da CG é muito diferente daquela da primeira sessão. Estamos acostumados a grandes estádios que abrigam milhares de crentes de todo o mundo, dezenas de vendedores apresentando ministérios, organizações, instituições e missões de todos os cantos do globo. No entanto, as primeiras sessões da CG foram nitidamente menores em escala, tanto em número quanto em alcance, sendo as primeiras 26 sessões realizadas em Battle Creek, Michigan, onde tudo começou. Os elementos de base da CG destacam a pureza e a estrutura simplista da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

O desenvolvimento da Conferência Geral em 1863 foi o primeiro passo para criar o que se tornaria uma igreja mundial. Foi o início das estruturas que temos hoje para administrar o dia a dia da igreja. As origens humildes da CG nos lembram das intenções que formaram nossa denominação. De uma crença, a uma igreja, a um movimento, a uma igreja mundial; à medida que avançamos, devemos olhar para trás de vez em quando e perceber que a primeira CG foi monumental em sua formação e profunda em seu impacto.